Serra do Japí – SP

A cerca de 60 km de São Paulo, a Serra do Japí é um dos poucos pontos remanescentes de Mata Atlântica ainda existentes no interior paulista, com uma extensão total de cerca de 350 km quadrados, sendo que 191,70 km quadrados correspondem a área tombada, abrangendo os municípios de Jundiaí, Cabreúva, Cajamar e Pirapora do Bom Jesus. Por ser uma área de encontro entre Mata Atlântica com Floresta de Planalto, a Serra do Japí apresenta uma enorme riqueza em termos de biodiversidade.

A FAUNA DA SERRA DO JAPÍ

É muito diversificada contendo inúmeras espécies, muitas ameaçadas de extinção. Temos diversas espécies de aves como pica-paus, bem-te-vis, gaviões, juritis e beija-flores. Entre os mamíferos destacamos os morcegos, bugios, macaco-sauás, ouriços, veados, jaguatiricas e as suçuaranas. Há também uma grande variedade de insetos, répteis, anfíbios e aracnídeos.

vista_serra_do_japi.jpg
Vista Parcial da Serra do Japí

A FLORA DA SERRA DO JAPÍ

São mais de 300 espécies de árvores nativas, como aroeiras, uvaias, pitangas, ipês, etc. Existe uma grande quantidade de arbustos, plantas herbáceas, samambaias e musgos. Esta flora, além de sua beleza , possui um enorme potencial cientifico e medicinal que aos poucos, vem sendo desvendado.

samambaia_gigante.jpg
Samambaia Gigante

AS ÁGUAS DA SERRA DO JAPÍ

São diversas nascentes por toda a serra, formando muitos córregos e também belas quedas d’água por todos os lados, são quedas pequenas mas muito refrescantes, com sua água cristalina e pura. Podemos citar alguns cursos d’água como o córrego do Moises, o ribeirão da Ermida e do Caguaçu e o córrego do Caxambu.

cachoeita_do_paraiso.jpg
Cachoeira do Paraíso

OS CAMINHOS DO JAPÍ – TRILHAS NA SERRA DO JAPÍ

São licenciadas pela Prefeitura Municipal de Jundiaí, para visitação na reserva Biológica da Serra do Japí, 04 trilhas pertencentes os bairros da Ermida e da Malota, segue abaixo breve descrição:
Trilhas da Ermida:

-Trilha do Trial (E1)
Início no posto avançado da Guarda Municipal PA11, onde temos uma área para deixar carros e/ou ônibus, seguimos pela estrada asfaltada que dá acesso ao condomínio “Serra da Ermida”, por entre a floresta mesófila semidecídua e semidecídua de altitude passamos pela represa da DAE S/A, com água da serra que abastece os bairros da Eloy Chaves e Medeiros.

Entrando propriamente na trilha, muito preservada e rústica, através da mata uma trilha estreita e com obstáculos como córregos das nascentes, troncos e rochas, até a cachoeira Trial (pequena queda e corredeira d’água) onde será permitida a entrada dos visitantes.

Percurso total: 5.800m(ida e volta) / Nível de dificuldade: 02 / Média de duração 3 horas.

– Trilha do Condomínio (E2)
Início no posto avançado da Guarda Municipal PA11, onde temos uma área para deixar carros e/ou ônibus, seguimos pela estrada asfaltada que dá acesso ao condomínio “Serra da Ermida”, por entre a floresta mesófila semidecídua e semidecídua de altitude passamos pela represa da DAE S/A, com água da serra que abastece os bairros da Eloy Chaves e Medeiros.

A estrada passa a ser de paralelepípedos até a entrada do condomínio “Serra da Ermida” onde uma bica d’água espera o visitante. Todo o percurso tem à margem a vegetação da serra com ótima qualidade do ar a boa visão da mata.

Percurso total: 7.800m(ida e volta) / Nível de dificuldade: 01 / Média de duração 3 horas.

Trilhas da Malota:

– Trilha do Mirante (M1)
Início na porteira de entrada da Reserva Biológica, sob controle da Guarda Municipal e ao pé da Base Ecológica, com local na estrada para deixar poucos carros ou ônibus, subimos por estrada de terra entre a floresta mesófila semidecídua e semidecídua de altitude, margeando um brejo de altitude, bica d’água, mirantes seguindo até o mirante do Observatório Astronômico Kiko de Mateu (Hoje em desuso), com ótima visão de toda a região em um dos pontos mais altos da serra.

Percurso total: 8.000m(ida e volta) / Nível de dificuldade: 01 / Média de duração 3:30 horas.

– Trilha do Paraíso (M2):
Início na porteira de entrada da Reserva Biológica, sob controle da Guarda Municipal e ao pé da Base Ecológica, com local na estrada para deixar poucos carros ou ônibus.

Subimos por estrada de terra entre a floresta mesófila semidecídua, margeando brejos de altitude, bica d’água, mirantes, viveiro de mudas nativas da serra e atravessando córregos tudo por uma vegetação muito preservada, até a cachoeira Paraíso.

Percurso total: 9.800m(ida e volta) / Nível de dificuldade: 01 / Média de duração 4:30 horas.

trilha_paraiso.jpg
Trilha do Paraíso

COMO AGENDAR UM PASSEIO

Dados pertinentes à Visitação
– Grupos de visitantes: amigos, igrejas, esotéricos, escolas, turistas e afins.
– Horário de visitação: Segunda à Domingo das 8 às 17 horas.
– Agendamento com antecedência de no mínimo 07 dias, preferencialmente 30 dias.
– A duração da visita varia de acordo com o tipo e interesse do grupo.
– Visitação sob orientação de Monitor credenciado pela Prefeitura do Município de Jundiaí.
– Grupos de no máximo 15 visitantes (Exceto escolas, limitado a + ou – 40 estudantes, mediante ofício* do orgão de ensino).
– Monitoramento: um monitor para cada 15 visitantes. Caminhada em trilhas licenciadas da Reserva Biológica da Serra do Japí, com paradas em pontos didáticos. O banho é permitido somente nas cachoeiras licenciadas e a refeição em locais pré-estabelecidos. O passeio é moldado de acordo com o interesse e perfil dos visitantes.
– É necessário apresentar lista contendo nome, endereço, idade, fone, RG ou Passaporte de todos os participantes, conforme Formulário de Requerimento eletrônico.
– Roupas: Claras e confortáveis, é aconselhado a quem possui alergia de contato com o mato utilizar calça. Tênis ou botas de caminhada são ideais (chinelos, sandalhas e papetes não serão permitidos). Bonés para proteger do Sol. Roupa de banho e toalha pequena para as TRILHAS com cachoeira. Capa de chuva.
– O que levar: lanche leve e prático, cantil ou recipiente plástico com água (2 x 500mL), repelente e protetor solar, máquina fotográfica, binóculo pequeno.
– Medicamentos de uso pessoal.
– Não será permitido fogueiras, facas, vidros e outros objetos não pertinentes ao passeio.
– Não há sanitários ao longo da trilha.
– Todo lixo gerado deve ser recolhido e levado consigo, levar sacola plástica.
– Valores: taxa de R$10,00 por pessoa, com taxa mínima de R$100,00 (não necessitando de 10 visitantes), pagos ao monitor.

turma.jpg
Turma Reunida na Trilha do Paraíso

DICA

É preciso marcar o passeio com bastante antecedência. Você precisa entrar em contado com um guia (na prefeitura de Jundiaí eles fornecem telefone dos guias), passar para ele algumas informações ( endereço, RG, idade, etc) e formar um pequeno grupo de no máximo 15 pessoas. E o guia se encarregará de entrar em contado com a prefeitura e conseguir a autorização.

Deixamos aqui a dica de dois bons guias que acompanham grupos na Serra do Japí
Osmar Francisco da Silva (graduado em Biologia)
tel: 4586-0164
E-mail osmar.fr@bol.com.br

ou

Marcel da Silva Lunghi
Credenciado sob nº10 na Secretaria de Planejamento e Meio Ambiente da Prefeitura Municipal de Jundiaí.
Biólogo, professor de Biologia, Ciências e Matemática, tec de Saneamento, monitor de Turismo e Recreação e Esportes de Aventura.
– Contato: Marcel S. Lunghi
Fones: celular: (11) 9555-8911
E-mail: mslunghi@gmail.com

17 Comments on "Serra do Japí – SP"

  1. eu gostei muito da serra do japi eu fui ai em um passeio de escola foi muito legal.

  2. Sempre fui visitante da serra do Japí junto com meus amigos de Saneamento do colégio técnico. Assim resolvi ser Biólogo.Fazíamos sempre a travessia Malota – Eloy Chaves. Então a Serra foi fechada e implantado o serviço de Monitoria. Hoje sou MONITOR Da Reserva Biológica da Serra do Japí e ressalto a importância de preservarmos esta local intitulado pela UNESCO como Reserva da Biosfera.
    contatos: Marcel S Lunghi, monitor nº10, Biólogo, (11)9555-8911, mslunghi@gmail.com

  3. hermes traldi neto | fevereiro 2, 2009 at 3:58 pm | Responder

    Apenas para enriquecer, temos 20 milhões de metros quadrados de área na reserva do Japi, que inclui a Serra do Guaxinduva e o Vale do Guaxinduva, em Cabreuva, com acesso e mapa no Google Map, colocando”o seguinte endereço: fazenda guaxinduva cabreuva. Mais de trinta cachoeiras nesta área, sendo tres abertas a visitação, facil acesso, mais de 160 km de trilhas, com trilhas para picos, cachoeiras, através da mata exuberante, toda esta riqueza natural aberta a visitação.Pequena estrutura de suporte com estacionamento, churrasqueiras e sanitários.Atualmente mais de 10 mil visitantes por ano sao recebidos, especialmente escolas, em passeios para trilhas com conteudo pedagógico. Várias empresas prestam este tipo de serviços na área, dentre elas a Melamphus (ver site)
    Para contato telefone 11-99661411

  4. rodolfo fagner de lima | outubro 21, 2009 at 11:36 am | Responder

    quero saber sobre instrutores e os valores requerentes ao passeio

  5. olá Rodolfo

    tenho contato de dois instrutores credenciados que levam grupos para as trilhas da serra do Japi

    são eles

    Marcel S. Lunghi
    Fones: celular: (11) 9555-8911
    E-mail: mslunghi@gmail.com

    ou

    Osmar Francisco da Silva
    tel: 4586-0164
    E-mail osmar.fr@bol.com.br

    entre em contato com eles para saber preços e agendar o passeio

    abraços

    André Alécio

  6. Olá,

    Gostaria de saber se há onibus que saia de Campinas.

    Grata,

    Marta.

  7. Curti muito correr na Serra, é muitooo bom oo contato com a natureza! Sempre que vou para Jundiai, passo por lá.:)

  8. oi Gente.
    não conheço nada em Jundiai.
    qual é o melhor lugar para se hospedar para ficar proxima da serra?
    de preferencia uma pousadnha com preço camarada haha
    no aguardo!

    • olá Jacqueline

      A cidade de jundiai não é uma cidade Turistica apesar da Serra do Japi e Alguns Parques, e tambem alguns lugares legais para curtir a noite na região da Avenida 9 de julho. Tem Varios Hoteis que são voltados para empresas e pessoas a trabalho na região central da cidade. Na região central Os preços variam, não tenho muita ideia mas um hotel bom deve estar em torno de 100 reais a diaria de casal.

      Na serra tem o Hotel http://montanhasdojapi.com.br/ Mas não tenho ideia de preço.

      Não sei de qual cidade você é, mas se for de SP capital ou proximo, vale mais um Bate e volta na serra do japi. Entre em contato com o Guia Marcel e agende com ele o passeio, se voce tiver um grupo melhor ainda, ou senão tente se entrar em algum grupo ja montado. Lhe indico a Trilha do Paraiso. Se for formar um grupo para conhecer a Serra do Japi, saiba que o maximo são 15 pessoas.

      Espero ter ajudado

      Abraços

  9. Marcel de Oliveira | dezembro 23, 2011 at 10:09 pm | Responder

    Olá amigos, sou morador de Jundiaí há 35 anos e desde os 14 anos de idade eu frequento a Serra do Japi. Nesta época ainda era aberta para visitação sem a necessidade de um monitor e posso dizer que não acho certo a serra ser fechada, pelo menos a parte das trilhas e das cachoeiras que poderia ser feito um parque nacional para turismo ecológico pois traria uma arrecadação para a cidade.
    Esta visita monitorada não passa pelas melhores cachoeiras da serra que são a Cachoeira do Tronco, Cachoeira do Paredão com mais ou menos 20m de queda, e a Cachoeira das Abelhas que é a mais bela da serra, além de outras pequenas quedas.
    A Cachoeira do Paraíso, que na minha época era chamada de Cachoeira do Aranha e a trilha era a Trilha do Aranha, é uma cachoeira bonita, mas não é a melhor.
    Deixo este comentário aqui apenas para mostrar que a Serra do Japi é muito mais legal do que é mostrado aos visitantes e gostaria que isto mudasse, que fosse criado um parque para turismo ecológico, até mesmo com monitoramento, pois é preciso sempre estar conscientizando os visitantes da importância da preservação deste lindo local, mas que fosse menos complicado para o turista visitar o local, hoje em dia você tem que entrar em contato com o monitor para que este consiga um ofício na prefeitura autorizando a visita e este processo é demorado, para aqueles que sempre resolvem decidir o destino na última hora, a Serra do Japi não será um local certo, pois você não vai entrar sem ter agendado a visita com vários dias de atescedência.
    Abraço a todos, e aos que forem a Serra do Japi, vocês não irão se arrepender, pois é um lugar lindo, só poderia ser menos complicado para a visitação.

  10. eu queria saber se tem tiroleza na serra do japi

  11. Bom dia Gostaria de saber , se é possivel chegar de carro no observatorio.

    Gostaria de ir para observação astronomica.

    preciso de alguma autorização ???

  12. Boa tarde gostaria do endereço da serra do Japi de Jundiaí gostaria de visitar as cachoeiras..
    Obrigada

  13. Oi
    Como me contacto con un guia?

  14. Maria Regina Munhoz | junho 3, 2017 at 8:12 am | Responder

    Concordo plenamente com o Sr Marcel de Oliveira.
    Tb tive dificuldade no contato com a bióloga
    Apesar de terem sido muito solícitos na prefeitura ( Sra Jussara ) a bióloga relatou já existir um grupo que no fim cancelou de última hora não podendo então aceitar minha reserva.
    Lamentável mas vou seguir insistindo

Leave a comment

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.